Você conhece Perry Rhodan?

Vivemos numa época maravilhosa para ser nerd. Os cinemas estão lotados com produções que adoramos, existe a Netflix, o sonho de qualquer garoto nos anos 80, 90 e 2000, e o mais importante, temos a Internet, que facilita a acesso a praticamente qualquer conteúdo que nossa curiosidade nos impulsione. Basicamente, o nerd é o novo sexy!

Então eu lhes pergunto: com tantas ferramentas à nossa disposição e com tanta gente fervorosamente à procura de novidades, por quê tão poucas pessoas conhecem a série literária de ficção-científica Perry Rhodan?

Hora de corrigir essa imensa injustiça!

Criada na Alemanha por H. Scheer e Clark Darlton e publicada inicialmente em 1961, Perry Rhodan é uma das mais criativas séries literárias de ficção-científica (Space Opera, na realidade) e a mais longeva ainda em atividade no mundo. Sim, Perry Rhodan vem sendo publicada ininterruptamente desde 1961 até hoje em seu país de origem!

Antes de comentar sobre o universo de Perry Rhodan, seria interessante explicar sua estrutura. A série vem dividida em ciclos, onde cada um pode ter de 50 a 100 livretos. Cada livreto por sua vez tem em média 150 páginas. Você pode ler os livretos em qualquer ordem, já que cada um deles tem uma história com começo, meio e fim, porém o conjunto dos livretos de um ciclo formam um arco maior e mais complexo! Genial não é?! No Brasil, foram publicados inicialmente do número 1 ao 536. Depois disso a edição foi interrompida. Estranhamente a Editora SSPG retomou a série, porém a partir do número 650. Um grupo de fãs então se reuniu para traduzir os volumes faltantes, do número 537 ao 649.

A série, de um modo geral trata do futuro (otimista) da humanidade e o “guia” para todas essas aventuras é Perry Rhodan, um ser humano que devido a uma série de fatores se torna imortal. Lendo as histórias e vendo as ideias ali existentes, percebe-se que muitos dos conceitos que poderíamos considerar originais em outras séries de ficção-científica já existiam aqui! Vou dar um exemplo: Se eu lhes perguntar sobre uma raça de ficção-científica que fosse composta por robôs com componentes mecânicos/biológicos e que viajassem em naves cúbicas, provavelmente vocês diriam que estou me referindo aos Borgs, de Jornada nas Estrelas – A Nova Geração. Pois bem, não estou. Esses são os Posbis, uma raça que dá nome ao terceiro ciclo de Perry Rhodan! Isso acontece com muita frequência em toda série, até mesmo com personagens principais! Deem uma pesquisada sobre Gucky em Perry Rhodan e depois vejam o Rocket Raccoon de Guardiões da Galáxia!

Encontrar os ciclos iniciais pode ser realmente um problema, porém virtualmente eles podem ser encontrados para download ou através do Projeto Traduções (http://www.projtrad.org). O restante pode adquirido pelo site da Editora SSPG (http://www.perry-rhodan.net.br/loja). Outras opções para quem só se interessa pelas edições físicas são a www.estantevirtual.com.br e o Mercado Livre.

Essa é com certeza uma das séries literárias mais fantásticas e criativas dentro do gênero de ficção-científica, e se você começar a ler essa pérola literária fique avisado: São praticamente 1000 histórias SÓ em português! Então, como todo bom nerd, esqueça sua vida social.