Redes Sociais | Instagram - Um mundo de opiniões



Recentemente, explodiu no Instastories os chamados “templates”, onde as pessoas marcam e/ou escrevem suas coisas favoritas ou escolhem a melhor entre duas opções. Também há os de signos, onde a pessoa marca com quais características assemelham-se.

Isso me levou a pensar: Até onde compartilhamos opiniões na internet com as quais as pessoas se interessam em saber? Até onde compartilhamos apenas o que é verdade sobre nós mesmos?

Claramente, hoje em dia as pessoas praticamente vomitam opiniões para todos os lados da internet, em qualquer rede social. Creio que esses “templates” e modismos passageiros (ou não) acabam cobrindo uma realidade cruel e ajudam as pessoas a omitirem suas verdades, criando um perfil praticamente fake, ou a serem totalmente hipócritas.

Exemplos? Bem, sem citar nomes, hoje mesmo vi no Facebook um vídeo muito inteligente falando sobre a beleza feminina e como seus padrões mudaram ao longo das décadas e, ao fim, era possível ver uma mulher que não se encaixava nos padrões de beleza atuais (demonstrados como pessoas esqueléticas); ela estava deitada, triste, olhando para a tela de um smartphone, desejando o corpo que não tinha. Portanto, o vídeo claramente era uma crítica aos esteriótipos e à exposição dos corpos “perfeitos” na internet. Este foi compartilhado por uma pessoa X. Depois de me atualizar no Facebook, fui para o Instagram e vi uma mesma foto desta pessoa X mostrando o corpo e suas curvas. Hipocrisia, talvez? Eu sei, ninguém é obrigado a não gostar do próprio corpo para concordar com críticas sociais, mas de que adianta criticar algo e, logo depois, apoiar a mesma coisa? A resposta é: Nada.

Outro exemplo aconteceu inteiramente no Instagram: Uma pessoa Y postou um template dizendo que seu livro favorito era um clássico, que já havia lido mais de 200 livros, etc. No feed, podíamos ver uma foto cuja legenda continha o erro gramatical “de mais”. Perfil praticamente fake? Querendo se passar por uma coisa que não é? Creio que sim.

Eu sei que estes dois exemplos podem ter sido apenas falhas importunas, onde as pessoas não queriam realmente fazer o que citei, porém são duas boas ilustrações.

Se você quer compartilhar uma opinião, faça! Opine, compartilhe. Mas mantenha essa opinião. Não seja hipócrita, a pessoa mais enganada com essas furadas na internet é o próprio criador, sempre. A maioria das informações que vemos nas redes sociais são passageiras, depois de duas horas lembramos apenas de metade do que vimos e lemos. Porém, quem criou alguma mentira, permanece com ela na mente por muito tempo.

Não quero nem entrar em outros assuntos do mesmo ramo, como a falta de bom senso e de respeito uns com os outros.

Então, sejamos honestos conosco. Opinemos sim, mas sem hipocrisia ou mentiras. Assim tornaremos o mundo virtual um pouco mais saudável.