Opinião | Raising Hope – Primeira temporada



Lembram-se das minhas primeiras impressões sobre a série Raising Hope? Prometi, ao final daquele texto, que voltaria com minha opinião sobre a primeira temporada e aqui estou!

Tudo o que tenho a dizer para este início é: Assista. Você vai se apaixonar.

Jimmy de um dia para o outro se vê com uma linda garotinha – sua filha – nos braços e, então, sua família toda é forçada a mudar para que Hope possa ser criada de forma digna (ou algo quase perto disso), assim como já disse na primeira matéria sobre esta série.

Na primeira temporada, como em muitas séries de comédia, há alguns furos, fatos que são deixados de lado, mas, quer saber? Não faz diferença. Assim como os furos de Friends não torna a série ruim, ou os erros em Star Wars não impede o filme de ser um sucesso.

De início, somos bombardeados com costumes estranhos de uma família estranha e aparentemente desestruturada. Os pais de Jimmy o tiveram ainda no colegial. A mãe de Jimmy foi criada pela avó  (que ainda vive com eles, ou eles ainda vivem com ela). E agora Jimmy é pai solteiro. Pai de uma filha cuja mãe foi morta na cadeira elétrica. Mas, sinceramente, um pai maravilhoso. Outros personagens aparecem para deixar a história mais recheada, um mais esquisito que o outro.

Não quero contar muito sobre a história para evitar spoilers. Contarei apenas que vale muito a pena assistir a Raising Hope. Você se sentirá alegre durante os episódios e terá as emoções abaladas ao final de cada um. São 22 episódios em cada temporada e 4 temporadas. 88 episódios da maior fofura. Pelo menos, até agora.

Como sou uma pessoa que não consegue se segurar e adora falar sobre quase tudo, aqui vai: Quer um gostinho especial? Se não liga para spoilers, continue lendo este texto. Caso contrário, pare e vá assistir.

No primeiro episódio, a mãe de Jimmy tenta o convencer a dar Hope (até então chamada Princesa Beyonce) para a adoção, mas o garoto se recusa. Ele luta para conseguir tudo o que um bebê de seis meses precisa, sempre sendo contrariado pelos pais. Porém, logo na primeira noite, Princesa Beyonce não para de chorar. Ela chora literalmente a noite inteira, obrigado a casa toda a ficar acordada. Com o chegar da manhã, o pai e a mãe de Jimmy entram no quarto e começam a cantar e tocar violão para a bebê. Jimmy fica maravilhado. Somos levados, então, para um flashback, onde o casal canta e toca para o pequeno Jimmy parar de chorar e finalmente adormecer.

Ufa! Princesa Beyonce finalmente dorme. Chega de choro por enquanto. A família vai, então, para a varanda, onde os pais do jovem-adulto-e-pai-solteiro finalmente são convencidos a criar a pequenina, pois ela trouxe um novo motivo para a família toda continuar a lutar com as despesas e dificuldades do dia a dia. Então, seu nome vira Hope.

A bebê é a mais nova esperança e felicidade daquela família pobre.