Morando na Gringa | Praia eme Toronto



A primeira coisa que me dizem quando descobrem que estou morando no Canadá é que não aguentariam o frio, que sentiriam falta da praia, do sol, do calor e do corpo bronzeado. E de fato, muito disso acaba acontecendo, uma vez que eu sou uma dessas pessoas que tem a praia como um refúgio e que entra no mar para lavar a negatividade da sua vida, mas tem como contornar essa situação mesmo em um lugar como Toronto.
Aqui as praias são muito diferentes das que conhecemos no Brasil, uma vez que são divididas em “categorias”, sendo uma com uma areia boa para caminhar, uma com quadras de vôlei de praia, uma com a água apropriada para nadar, uma com a água apropriada para o windsurf, e por aí vai.

Nenhuma delas se compara as lindas praias brasileiras, intermináveis praias cheias de comerciantes e opções gastronômicas. Aqui as praias são geralmente menores, com uma série de atrativos do lado de fora dela, como parques com churrasqueiras fixas para uso dos visitantes, trilhas e muito mais, e isso sem falar da ausência de ondas e da água doce, uma vez que as praias são na realidade um grande lago que separa Toronto de Buffalo.


Temos também o fator clima, já que no auge do inverno é praticamente impossível de se ficar na praia, já que somos acostumados a prestar mais atenção na força do vento do que na temperatura em si antes de sair de casa, sendo a praia o lugar onde mais venta, é praticamente insuportável se manter lá por muito tempo sem começar a sentir o corpo ser castigado pelo frio. No entanto, no fim de fevereiro e começo de março, quando as temperaturas já começam a ficar positivas, é perfeitamente normal pessoas levarem seus cachorros para brincar na areia e até mesmo irem sozinhas para ler ou simplesmente admirar a vista, óbvio que os biquínis fio dental e as sunguinhas brancas da adidas  são substituídos por calças jeans e blusas de moletom, mas nada que impeça pessoas como eu de irem para lá uma vez ou outra.