Por algum motivo o Brasileiro é acostumado a achar que europeus, canadenses, americanos etc. são uma raça superior, extremamente desenvolvida e com um intelecto avançado capaz de tomar sempre as melhores decisões mesmo em situações adversas.
Costumamos achar também que a política canadense é um mar de rosas, livre de corrupção e composta por uma seleta equipe altamente qualificada e eleita pela população para representar suas vozes. Perante o famoso, pop, cool, geek, gatinho(pra quem tiver um gosto no mínimo questionável) primeiro ministro Justin Trudeau.


No entanto, quando se conversa com canadenses, especialmente em meu circulo social, composto em sua maioria por estudantes entre 18 e 25 anos, vindos de pequenas cidades do interior de Ontario, e que usam gírias como “Dope” e “Lit” em praticamente toda frase que formulam, percebemos que a realidade é um pouco diferente da que imaginamos.


Eu de fato nunca vi um representante do congresso canadense que seja equivalente ao famoso Tiririca, que foi eleito com os dizeres: “Você sabe oque um deputado faz? Nem eu, mas se eleito eu juro que te conto”. Talvez se algum candidato tentasse, conseguiria o mesmo êxito do humorista cearense, já que não por uma vez, ou por duas, mas em várias e várias situações ouvi pessoas dizendo: “Eu acho que Drake deveria ser o prefeito de Toronto, porque ele já fez tanto pela nossa comunidade, sem nem ao menos ter um cargo político ou receber algo em troca”, ou até mesmo: “Eu entendo que Drake não tenha experiência no cenário político, e por isso ele deveria ser nosso prefeito para adquirir esse conhecimento e um dia se tornar nosso primeiro ministro”.


Não que eu discorde do fato de que seria o máximo ter um primeiro ministro tão famoso por seus memes e que tenha a capacidade de escrever todos os seus discursos em forma de rima, mas a piada perde a graça quando notícias começam a surgir aqui e ali a respeito da possibilidade real do rapper estar de fato cogitando e montando de forma não oficial uma equipe para lhe auxiliar nessa possível caminhada.
Então para todos aqueles desesperados por ter de escolher entre Lula ou Bolsonaro para presidente, tenham paciência, o jogo pode virar e em alguns anos os dedos estarão em riste, todos apontados para mim enquanto canto “Started from the botton” como hino nacional não oficial.