Literatura Nacional | Escritores - Aya Imaeda



Formada em Ciências Biológicas pela USP, atualmente é estudante de pesquisa na Universidade de Nagoya, no Japão. Entretanto, ainda tem esperanças de receber sua tão aguardada carta de Hogwarts. Autora de “O segredo do kelpie” (2017), ama gatos e livros de fantasia, mas nutre um carinho especial por aranhas também.

Agora vemos para uma pequena entrevista para descobrir mais detalhes sobre este escritor nacional:

(Mayara) “Você tem livros publicados? Se sim, quais e por quais editoras?”

(Aya) “Meu primeiro livro publicado é “O segredo do kelpie” (2017), da Editora Draco, baseado em criaturas da mitologia celta e contos de fadas escoceses. Um espírito da água resolve raptar uma jovem humana e tomá-la como esposa, mas acaba preso a ela por um contrato de trabalho. Espere muita magia e uma pitada de romance!”

(Mayara) “Qual foi a sensação de publicar seu primeiro livro?”

(Aya) “Ainda hoje acho surreal encontrar meu livro em uma livraria, ou mesmo ler impressas as palavras que conheço tão bem, a história em que coloquei tanto carinho e trabalho duro. Fiquei entre extasiada e apavorada diante da perspectiva de ter outras pessoas lendo o que escrevi, e ainda sinto um friozinho na barriga quando alguém diz que está lendo o meu livro. Daí, imagine a minha alegria toda vez que recebo um feedback positivo!”

(Mayara) “Você recebe feedbacks frequentemente dos leitores?”

(Aya) “Para uma autora jovem publicada por uma editora pequena, acho que até que recebo, sim. Seja uma mensagem de “terminei de ler seu livro e amei!”, seja uma resenha ou um post no facebook, são todos feedbacks preciosos que aquecem o coração de qualquer escritora.”

(Mayara) “Teve algum leitor que te marcou muito?”

(Aya) “Teve uma leitora que me marcou exatamente por eu não conhecê-la. Ela foi a primeira pessoa a escrever uma resenha do meu livro no Skoob, e foi uma resenha linda a ponto de me emocionar. Por não ter mencionado a Bienal do Rio, suponho que nós não tenhamos nos conhecido lá, e também não a tenho no facebook, ou seja, não faço a mínima ideia de quem é e de como acabou lendo o meu livro. Achei isso maravilhoso, sabe? Perceber que, de alguma forma, a história que escrevi está alcançando mais pessoas e as encantando a ponto de resolverem compartilhar sua experiência.”

(Mayara) “Agora, como leitor: Qual seu livro preferido?”

(Aya) “‘O Dragão de Sua Majestade’, de Naomi Novik. Não é o melhor livro que já li, mas é o meu preferido mesmo assim. As forças aéreas nas Guerras Napoleônicas são compostas por dragões, não tinha como eu não amar! Além disso, gosto de histórias com foco em relações de amizade e companheirismo.”

(Mayara) “Por que você escreve?”

(Aya) “Essas perguntas são as mais difíceis. Queria dar uma resposta complexa e emocionante, mas acho que a mais honesta é esta: escrevo porque isso me faz feliz. Para mim, não há momento mais perfeito do que estar escrevendo em uma madrugada chuvosa com um gato no colo, ouvindo apenas o som da chuva e o tec-tec-tec dos meus dedos sobre o teclado.”

(Mayara) “Por que você lê?”

(Aya) “Eu leio porque o segundo momento mais perfeito é estar lendo com um gato no colo em uma madrugada chuvosa (risos). A paixão pela leitura vem desde a infância, acho estranho sair de casa sem um livro na bolsa.”

(Mayara) “Se pudesse passar uma mensagem mundialmente para as crianças, incentivando-as a ler e escrever, o que falaria?”

(Aya) “Diria que elas não são obrigadas a gostarem de ler de tudo, mas certamente há algum livro (ou gibi, mangá, etc.) esperando para ser descoberto por elas, pronto para lhes fascinar e levar a uma viagem incrível por novos mundos cheios de possibilidades. E que elas mesmas também podem criar suas próprias histórias. Por isso, que tal experimentar?”