Literatura | Quando vale a pena dar continuidade a obra?



CONTINUAR OU NÃO? EIS A ATUAL QUESTÃO

A escrita em volumes se dá por necessidade ou oportunismo? Qual a necessidade real de um autor dividir em tantos volumes uma única história? Estratégia de marketing e divulgação de seu nome, uma forma de autopromoção do seu trabalho? Ou a complexidade e possíveis desdobramentos da história contada?

É cada vez mais comum essa divisão em vários livros das obras lançadas. As famosas sagas se prolongam por anos e anos e à medida que o tempo vai passando, a entrada de novos personagens pode até confundir a cabeça dos leitores. Mesmo até os mais fiéis, que esperam fervorosos pelo desenrolar das tramas.

Um livro em volumes é como um filme em episódios ou uma série em temporadas. Sempre nos bate aquela dúvida: Uma continuação é mesmo necessária? Nem sempre. Assim como a onda das trilogias. Há histórias que não precisam de três volumes para ser concluídas, em apenas dois se resolve toda e qualquer questão pendente.

A grande maioria de autores acaba se rendendo a certos mimos editoriais para passar a fazer parte do mercado, ter a sua obra aprovada e conquistar boas críticas, milhões de seguidores, prestígio, visibilidade. A constância de youtubers que publicam livros da noite para o dia, alicerçados por grandes editoras chega a ser indecente, uma afronta aos iniciantes escritores que de forma suada e angustiante, agonizam batendo nas portas de alguma que aceite receber os seus originais.

Porém, há de se convir que alguns fatores-chave incentivam demais o processo. Sorte? Cara-de-pau? Conhecimento? Oportunidade? Ou todos juntos e misturados? O mercado é ingrato, mas o tempo define exatamente quem fica e quem sai. Talento, além de tudo, é fundamental. Uma história bem contada, com tramas e personagens bem construídos, pitadas de humor, suspense e dinamismo instigam leitores de diferentes gerações, segmentando perfis e identificando o verdadeiro público-alvo.

Mas, quem será o público de tais sequências?

Bem, isso é papo para os próximos textos…

Ou não.