Acredito que muitos de nós já tivemos aquele jogo que não dávamos nada e após jogá-lo nunca mais esquecemos. Jogos desconhecidos do público geral mas que mereciam muito mais do que alcançaram.

Como quase todo bom nerd que se preze, sou um fanático por fantasia, principalmente medieval, e todo e qualquer conteúdo relacionado, lá estou eu consumindo. E em meio a minha busca por jogos do gênero, já cansado das quase mil horas de skyrim, acabei descobrindo –  Kingdoms of Amalur: Reckoning.

Em 7 de fevereiro de 2012, a desenvolvedora Big Huge Games em parceria com a Eletronic Arts, lançou o game sem muito alarde, com uma produção de médio custo, o que logo me fez pensa: um RPG de poucos investimentos lançado um ano após skyrim, a chance de ser péssimo e ser uma grande cópia mal feita, era muito grande. Mas, aí que veio a surpresa: Kingdoms of amalur é um Hack n’ Slash com elementos de RPG, no estilo sandbox, que não te obriga a ter de optar por uma única classe específica, e que também te dá a opção de ser o que quiser.

A sua progressão varia conforme explora os mapas, além de te permitir uma grande liberdade de escolhas. Como ponto positivo, temos o amplo mundo aberto de Amalur, uma campanha grande o suficiente para manter o jogador empolgado, um número enorme de variações de magia, ataques, armaduras e armas além de trazer gráficos muito bonitos para a época, usando muito bem os motores gráficos da geração passada

Porém como a maioria dos jogos ele peca em alguns aspectos, a alta quantidade de side quests que acabam sendo irrelevantes, tarefas repetitivas que podem enjoar facilmente jogadores mais hardcore que buscam fazer cem por cento. A falta de profundidade na construção do personagem também é um problema, tudo fica em aberto demais. Mas o maior problema é a falta de variedade de monstros e inimigos, num universo tão grande, ter apenas quatro a cinco tipos de inimigos em todo mapa é uma falha bem grave, mas que não interfere muito no andar do jogo e te permite ter ao menos umas boas horas de diversão.

Alheio a isso, Kingdom of Amalur traz uma boa história de fantasia, uma jogabilidade boa e honesta, e com certeza é um dos melhores jogos de RPG da geração passada, e ainda hoje é um belo jogo a ser explorado.

Belas paisagens, e grandes batalhas te esperam em Kingdom of Amalur: Reckoning.