Morando na Gringa | Irlanda: Locais Assombrados – Parte I



A Irlanda é um país pequeno, mutos nem ligam para sua existência. Porém, este país nos guarda uma bela cultura e curiosidades interessantes.

Vamos para uma lista de quatro dos muitos lugares supostamente assombrados da Irlanda?

1. Leap Castle:

 

Construído mais ou menos no ano de 1250 pela família O’Bannans, pertenceu à famosa família O’Carrolls de Ely até 1649, depois foi entregue à família Darby, que ficou com a posse do lugar até o século XX. Considerado um dos lugares mais mal assombrados do mundo, já recebeu visitas ilustres, como a série televisiva “Scariest Places on Earth”.

 

Em 1909, a romancista e moradora do castelo Mildred Darby relatou diversos acontecimentos paranormais e os descreveu ao ser entrevistada pelo jornal Occult Reiew: ““Eu estava em pé, na galeria, olhando para o chão principal, quando senti que alguém colocava uma mão no meu ombro. O tamanho era de uma ovelha. Delgado, magro, sombrio … seu rosto era humano, para ser mais precisa, desumano. Sua luxúria nos olhos, que pareciam meio decompostos em cavidades negras, olhava para os meus. O horrível cheiro cem vezes intensificado surgiu no meu rosto, me causando uma náusea mortal. Era o cheiro de um cadáver em decomposição!”.

 

O castelo carrega diversas histórias trágicas acontecidas dentro dos seus limites, um deles é o assassinato do padre Thaddeus O’Carroll pelas mãos do próprio irmão, Teighe, com um golpe de espada nas costas enquanto o padre celebrava uma missa na capela do castelo em 1532. Conta a lenda que o assassinato seu deu após a morte do patriarca Mulrrooney, no mesmo ano, da qual culminou uma disputa sobre a sua sucessão entre os filhos. Hoje a capela é denominada “Capela Sangrenta”.

 

Em 1922, alguns trabalhadores do local encontraram uma masmorra secreta atrás de uma parede de canto da Capela Sangrenta. Ao adentrarem o local, encontraram um buraco escuro recheado com esqueletos humanos, enfiados em estadas de madeira.

Você acha que acabou? Longe disso.

 

Em 1600 a posse do castelo passou para os Darby quando a filha de O’Carroll se apaixonou por um capitão inglês Darby. Durante a Guerra Civil Inglesa, o filho do casal, Jonathan, escondeu tesouros nas terras do castelo com a ajuda de dois servos – que foram posteriormente assassinados, para garantir que as localizações dos tesouros ficassem em segredo. Um tempo depois, Jonathan foi preso por traição e, quando ganhou novamente sua liberdade, estava tão atormentado que não conseguia encontrar os tesouros. Algumas bocas dizem que as riquezas ainda permanecem escondidas. Durante o século XVIII, seu bisneto de mesmo nome remodelou o castelo, dando a ele uma aparência gótica.

 

Lembra-se de Mildred, citada anteriormente? Ela é a suposta culpada por trazer os mais infames espíritos para o lugar. No início de 1900, a romancista começou a lidar com artes negras dentro do castelo, trazendo resultados terríveis, como um espírito elemental – malévolo.

Durante a IRA (Guerra da Independência da Irlanda), em 1922, os Darby se mudaram para a Inglaterra e o castelo ficou em ruínas por quase 70 anos. Foi comprado pelo casal Anne e Sean Ryan em 1991 – atuais donos. Sean diz que as aparições são frequentes, mas sua família e os espíritos conseguem viver harmoniosamente de alguma forma. Não consigo imaginar como…

Hoje o castelo é um ponto turístico evitado durante a noite, pois já foram ouvidos choros, gemidos estranhos, sangue saindo das luzes do castelo e até a aparição de uma senhora de vestido vermelho, entre outros acontecimentos.

 

2. Loftus Hall:

 

Localizada na Península Hook, em Wexford, a mansão completou 666 anos em 2016. Foi construída, portanto, em 1350, contando com 22 dormitórios e fantasmas, entre eles, um mais famoso: a garota Anne Tottenham.

Anne teria se mudado para a mansão com a família em 1666 e, diz a lenda, que um dia um homem estranho pediu abrigo à família. Ele e Anne se tornaram amigos. Durante um jogo de cartas, a garota se abaixou para pegar uma carta que caiu no chão e percebeu que o homem não tinha pés, mas sim cascos fendidos!

 

A garota comentou sobre tal fato com o desconhecido e ele simplesmente saiu voando pelo teto, criando um buraco que nunca foi concertado de maneira decente, permanecendo na mansão até hoje.

Anne, depois do acontecimento, se tornou mentalmente doente e passou o resto dos seus dias trancada em um dos quartos da mansão, falecendo em 1675.

Aidan Quigley comprou a propriedade em 2011 e vem, desde então, trabalhando para transformá-la em um local turístico peculiar.

3. Ballyboley

 

Bom, tudo bem, a Irlanda do Norte, onde fica localizada e floresta de Ballyboley, é um país diferente da República da Irlanda, porém a consideraremos nesta lista.

A floresta em Larne é linda, mas também sombria. Uma lenda celta diz que a floresta é uma porta de entrada para outro mundo.

 

Os moradores do local nem se atrevem a colocar os pés na floresta e alguns sugerem que aparições acontecem, como figuras humanas vestidas com trapos marrons, árvores manchadas de sangue, sussurros, vozes gritando e colunas de fumaça negra. Dizem, ainda, que entre os séculos XV e XVII, muitos entraram na floresta e nunca mais foram vistos.

4. Túmulo do Capitão Boyd

Ok, essa história eu acho até fofa demais.

Na famosa igreja de Dublim, a Saint Patrick Cathedral (ou Catedral de São Patrick, em português), está o túmulo do Capitão Boyd. Dizem que ele é assombrado por um cão negro da raça newfoundland. Segundo alguns relatos, é comum avistá-lo sentado na base da estátua de mármore em tamanho real de Boyd.

A história é a seguinte: Em 1861, o Capitão Boyd, sempre acompanhado por seu fiel companheiro, o cão negro, tornou-se um herói depois de tentar resgatar mais de 135 navios e suas respectivas tripulações, mas tudo foi destruído durante uma forte tempestade entre Wicklow e Howth. Capitão Boyd morreu afogado, juntamente à sua tripulação, tentando salvar vidas. Já o newfoundland morreu de fome, pois não queria deixar o túmulo do capitão. Quase um “Sempre Ao Seu Lado” irlandês.

 

Histórias interessantes, não? Semana que vem voltamos com mais lugares irlandeses assombrados!