Dragão Indica | Anime - Kimi no Na wa (Your Name)



“Arte e mitologia estão entrelaçadas.  Uma abre as portas para outra”. Lia Helena Giannechini

E não é diferente com Your Name, um anime japonês de Makoto Shinkai, nascido de seu livro homônimo.  O filme é sucesso como quarta maior bilheteria do Japão. Vocês podem ver que o filme é muito bom. Alguns prêmios e indicações em festivais estão em seu curriculum, como a indicação para a academia de Londres e o Japan Academy Prize, vencendo como filme popular em 2016.

Ele conta a história de uma lenda chamada Musubi, que é um guardião dos fios do tempo.

“Enrolar os fios é Musubi. Conectar as pessoas é Musubi. O passar do tempo é Musubi.

São todas forças do Deus. Então, os trançados que fazemos, são a pura arte do deus e a representação do tempo em si.

Os fios convergem e tomam forma. Se enrolam e entrelaçam. Às vezes soltam e quebram, depois se reconectam.

Musubi: entrelaço. O tempo.” 

Vovó Hitoha Miyamizu

Um fenômeno acontece de maneira inesperada. Mitsuha e Taki trocam de corpos num sonho. E experimentam a vida trocada de cada um deles, por um tempo. Quando dormem a mudança acontece algumas vezes, criando uma união entre os personagens, que os leva a compreensão de mútuos sentidos de vida.

Não é a primeira vez que a literatura atravessa o tempo, desfazendo barreiras, impostas pelo senso de realidade. E nesse filme, o que existe de mais bonito é a procura, do que acontece com os personagens, entrelaçada com os desejos da mudança de realidade que os protagonistas revelam em sua trama.

Enrolar e desatar os nós de fios e construir o tecido que representa a busca da vida, mesmo partindo e se refazendo, o que permanece é a união.

E através dos sonhos Mitsuha tenta ajudar a Taki.

Quando um fenômeno natural, pode destruir a cidade de Mitsuha, essa linha do tempo desaparece, fazendo com que os dois tentem se reconectar através da intuição, quando a cidade pode ser destruída pela caída de um meteoro, em Itomori uma cidade de campo do Japão, onde ela mora.

Os dois criam forças sobrenaturais para vencer as agruras do lugar e salvar as pessoas que estão na rota da tragédia.

Uma cerimônia da kuchikamizake é realizada, pela avó e suas duas netas, quando ela percebe que Mitsuha tem o dom de trocar de corpos pelos sonhos, para que os laços desse amor permaneça em sua família. E isso só aparece, pelo dom de Mitsuha, fermentar o saquê com sua saliva através do caminho para o templo onde será depositado a oferenda desse licor ao Grande Protetor do Universo.

Duas lendas, duas formas de construção de uma compreensão profunda de como o amor chega na vida das pessoas. E assim os protagonistas da história tem que aprender a lidar com o cotidiano, contudo, entrelaçados por uma força que os impele a contribuir com seu entorno e ao mesmo tempo estar conectado com essa voz interior que chama pelo sonho os maiores desejos.

Profundo, instigante o filme dá o que pensar.

Os personagens, são dispostos na trama dentro de um recorte da realidade atual das pessoas mas, deixa espaço para interpretações que são além do tempo real.

Como se vivêssemos duas vidas. A que fazemos no cotidiano e a que desejamos em nossos sonhos. Mas, elas não estão separadas. Apenas distanciadas em nosso mundo interno. Essa é a parte mais sutil do filme. A interpretação de nossas ações inconscientes ganha um colorido de arte e amor, nos desenhos de Masayoshi Tanaka. Que deixa sua marca de primazia em seus traços, criando paisagens e momentos inesquecíveis.

 

Acesse o site do autor:

www.alemdooceano.wordpress.com