Critica | Humor - Como se tornar o pior aluno da escola



O colégio sempre marca as memórias das pessoas mais velhas, sempre relembram os seus professores, suas histórias e invariavelmente se lembram do pior aluno da escola. Lançado no dia 12 de outubro de 2017, o filme, como se tornar o Pior Aluno da Escola, causou certo reboliço por trazer o humor ácido e cirúrgico do Comediante e Apresentador Danilo Gentili, imersos no contexto escolar explorado pelo filme.

O enredo do filme traz como protagonista um estudante chamado Pedro, que começa e enfrentar dificuldades na escola e as suas notas começam a cair, ele é chamado pelo Diretor da escola, Ademar, e descobre que só passará de ano se tirar 10 na prova final de matemática. Em determinado momento ele encontra os pertences de um ex-aluno, que estudou lá nos anos 80, e dentre os itens está um caderno com regras numeradas explicando pegadinhas, regras para se tornar o pior aluno da escola e uma página com o título “técnicas de cola”. Então Bernardo decide encontrar o ex-aluno na companhia de seu amigo Bernardo, e assim iniciam a sua onda de caos na instituição de ensino, motivados pelo personagem, misterioso ex-aluno Danilo Gentili.

A história é bem simples, mas a proposta aparenta ser uma revisita aos anos 80 bem similar a das comédias adolescentes, sendo o exemplo mais visível a obra Curtindo a Vida Adoidado que também quebra a aura sagrada da escola. Entretanto a sutileza humorística de John Huges é trocada pelo humor brasileiro politicamente incorreto do mesmo período, com piadas bem fáceis envolvendo alguns temas sensíveis, brincando com estereótipos e as vezes trazendo o teor escatológico. Todo o bullying é imerso no contexto escolar, remetendo-se às décadas passadas e podendo ser observado atualmente, porém pelo título enfatiza a rebeldia e o comportamento questionável, então qualquer surpresa por supostos desavisado que são mais sensíveis ao tema é dispensável.

Apesar da vulgaridade e do enredo bem cru, a obra consegue trazer o clima nostálgico relembrando as velhas histórias de colégio. E agradando bem o público que possui um gosto pelo humor ácido. Não é o melhor filme brasileiro de comédia, mas provavelmente ele tirará algumas risadas quando você assistir.