Cinema | Melhore sua experiência, vá no escuro!



Nesta semana, estava passando meu feed no facebook, vendo aqueles milhares de besteiras, memes, discussões sem fim, quando por acaso apareceu uma publicação que me chamou muita atenção.

Uma página de cinema publicou um trailer do filme “O Iluminado”, filme de 1980, dirigido pelo brilhante Stanley Kubrick e protagonizado pelo gigante Jack Nicholson.

Esse trailer tem 1 minuto e 32 segundos, e nós não vemos nada além de um hall de elevador. O trailer tem uma trilha assustadora e na medida em que o trailer avança, sangue começa a escorrer e a ganhar volume. O sangue chega até nós e cobre completamente a nossa visão do elevador. Nesse meio tempo, os créditos do filme vão rolando na tela. Esse é considerado por todos um dos trailers mais bem feitos e mais assustadores da história.

Foi a primeira vez que vi esse trailer e foi uma experiência muito interessante. Quero dizer, o trailer cumpriu seu papel perfeitamente. Me deixou com muita vontade de assistir ao filme, não entregou absolutamente nada relevante sobre o filme, e tratando-se de um terror, me deixou previamente aterrorizado.

Hoje, em todos os aspectos da vida e da cultura, nós somos extremamente imediatistas. É a cultura do fast-food. Tudo precisa ser dinâmico, tudo precisa estar acontecendo o tempo todo, nós precisamos estar sempre sendo bombardeados com informações, trailers, fotos, pôsteres, enfim…. Fico imaginando qual seria a reação do público ao trailer de O Iluminado. O filme seria boicotado antes de seu lançamento? Kubrick seria criticado? O filme teria algum sucesso de bilheteria?

Assisti ao trailer de O Iluminado e na mesma semana aconteceu o lançamento do trailer de Vingadores Guerra Infinita. Eu confesso que não vi o trailer, mas em alguns grupos esse era o único assunto, então foi inevitável saber o que foi mostrado nesse trailer.

Eu fiz uma busca bem rápida sobre Vingadores Guerra Infinita e aparentemente o primeiro grande anúncio sobre o filme, foi feito pela Marvel em outubro de 2014. Se você é um fã dos filmes de Super-Heróis, principalmente da Marvel, deve estar subindo pelas paredes, porque de 2014 para cá, o estúdio veio divulgando informações, fotos, pôsteres, teasers, trailers, enfim…. É possível que você não tenha tido um gap de 3 meses sem receber pelo menos uma nova grande informação sobre o filme.

Particularmente, posso achar tudo isso um saco, justamente porque eu não vejo nenhum trailer. Eu prefiro ir para o cinema sem ter nenhum tipo de informação sobre o filme. Eu até sei quem é o diretor, sei quem são os atores, mas eu prefiro não saber nada além disso.

A minha crítica não é contra os estúdios, porque eles fazem aquilo que é necessário para potencializar o alcance do seu filme, para criar um estado de ansiedade completa. Eles fazem o que é preciso para criar todo um ambiente favorável para o lançamento do seu filme, para obter as maiores bilheterias no menor período de tempo, eles fazem o que é preciso para vender o maior número de objetos relacionados ao filme, enfim, o estúdio tem uma preocupação, apenas uma, e ficar ventilando aos poucos, mês a mês, informações sobre o filme, se mostrou a forma mais eficaz de lidar com esses objetivos.

Hitchcock certa vez, deixou uma mensagem no fim do seu filme. As pessoas que foram ao cinema e assistiram sua nova obra foram surpreendidas com a seguinte mensagem: “Não fale nada sobre o filme com quem ainda não viu o filme”. Hitchcock, o grande mestre do suspense, tinha uma grande preocupação com a EXPERIÊNCIA que as pessoas teriam ao ver seu filme.

Do momento em que existe o acordo e o filme passa a ser oficialmente produzido, até o momento em que sentamos nas poltronas para assistir a obra, existe um caminho extenso e trabalhoso. Quando Hitchcock fazia um filme, ele pensava em absolutamente tudo. Ele tecia cada detalhe do filme, de forma que a obra te deixasse amedrontado, na ponta da cadeira, ansioso, roendo as unhas. O que aconteceria se eu te contasse o desfecho final do filme? Ao assistir ao filme, você teria a EXPERIÊNCIA que Hitchcock planejou para você?

Eu sou um crítico dessa cultura que vivemos, onde trailers são lançados dia sim, dia não. Somos bombardeados com trailers, trailers que muitas vezes revelam pontos importantes do filme. Sinceramente, alguns trailers revelam tanto sobre o filme que a ida ao cinema, o pagar do ingresso, essas coisas não passam de mera formalidade.

Eu não vejo os trailers, porque a ida até o cinema para mim é uma EXPERIÊNCIA SAGRADA. Eu quero sentir absolutamente tudo o que filme tem para me oferecer, e quero sentir tudo pela primeira vez! Não quero durante o filme pensar: Olha, essa cena tem no trailer. Não, eu não quero mesmo. E é por isso que eu fujo dos trailers, evito acompanhar os pôsteres e vou ao cinema no escuro, esperando assistir um bom filme, esperando ser surpreendido pelo ótimo trabalho realizado durante toda a produção do filme.

Precisamos nos lembrar que a indústria não pensa em nós com carinho. A indústria pensa somente no lucro que vamos ajudar a construir, mas, existem pessoas por trás da indústria, diretores, atores, cinematógrafos, maestros, existem pessoas que pensam o filme PARA VOCÊ. Pensam em como podem construir um filme que te provoque sensações, um filme que te leve ao seu máximo de angustia, de tristeza ou de alegria.

Você pode continuar sendo O Cara dos trailers, é o seu direito, mas eu te convido a fechar os olhos para todo esse bombardeio. Experimente fazer isso com algum filme que será lançado neste ano. Vá ao cinema no escuro, sinta o filme pela primeira vez, aproveite a EXPERIÊNCIA.