Com doze episódios e exibida no Japão entre o período de 5 de outubro e 21 de dezembro de 2016, o anime Yuri!!! On Ice envolve patinação no gelo e conta a história de Yuri Katsuki, um patinador que, logo no começo da história, sofre uma esmagadora derrota nas competições finais de um grande prêmio. Após de vários erros, Yuri decide pausar sua carreira e retorna para sua casa em Hasetsu, na ilha de Quiuxu, depois de 5 anos de ausência.

Algo curioso acontece no retorno de Yuri: durante uma visita a uma amiga de infância no ringue de patinação Castelo de Gelo de Hasetsu, ele imita perfeitamente uma performance do patinador russo Victor Nikiforov, seu ídolo desde a infância.

Oras, mas ele não havia perdido drasticamente e cometido vários erros?

Acontece que o potencial de Yuri é maior do que o esperado.

Para evitarmos spoilers, apenas contarei mais um pouquinho da história: A imitação perfeita de Yuri foi grava secretamente e postada na internet. Como o esperado por aqueles que entendem um pouco mais dos enredos “óbvios”, Victor assiste ao vídeo e decide repentinamente viajar para Quiuxu e se tornar o treinador de Yuri. Juntos, eles embarcam na aventura de conquistar um grande prêmio, competindo contra fortes patinadores, inclusive o grande rival de Yuri K. – e com igual primeiro nome -, Yuri Plisetsky.

Como eu já disse anteriormente, o enredo de Yuri!!! On Ice é bem óbvio para aqueles que são mais envolvidos com histórias de ficção em geral. Porém o anime é lindo, com imagens de fazer brilhar os olhos. Arrisco dizer que qualquer um que assista o anime inteiro levará de brinde uma pequena paixonite por patinação no gelo.

Creio que os criadores caíram um pouco no fan service, mas, curiosamente, nenhuma cena explicita é mostrada, portanto o romance fica todo por conta da nossa imaginação e de algumas especulações.

Por não ser um anime de enredo fortíssimo ou épico, muitos consideram um “anime de menininha”. Mas, por experiência própria, é uma ótima forma de adentrar no mundo dos desenhos japoneses, por ser uma história curta e bonita. Vale a pena, nem que for apenas para admirar os personagens desenhados por Tadashi Hiramatsu, as coreografias criadas pelo patinador Kenji Miyamoto e a trilha sonora composta por Taro Umebayashi e Taku Matsushiba.

Convenhamos, Victor e os Yuris são personagens lindos.

 

 

E, homens, por favor, deixemos de lado todo o “eu não vou assistir um anime gay”. Já passamos dessa fase, não é mesmo?